quarta-feira, 23 de julho de 2014

As pessoas que (não) nos fazem falta.

É da minha natureza precisar de gente, de pessoas na minha vida. Eu digo isto porque há gente que não precisa de gente na sua vida. Não sei como conseguem, mas é verdade.

As pessoas preenchem-me a vida. Dão-lhe razão de ser. Não me imagino sem as "minhas" pessoas. A vida fica-me sem combustível.

Isto para mim são certezas quase absolutas. Para já não consigo viver de outra forma.

Mas depois há pessoas que teimam em estragar tudo e preferem não fazer parte deste mundo de viver com gente. Vivem apenas no seu mundo, sozinhas. Alimentam problemas, escurecem os caminhos que fazem e tornam mais complicadas as decisões que têm que tomar. Eu não sei viver assim e confesso que lido mal com estas pessoas. 

A felicidade em torno das pessoas e o bem que umas podem fazer às outras é coisa difícil de lidar. Nem sempre é fácil clarear os caminhos de algumas.

Detesto desistir das pessoas. Principalmente daquelas que sempre estiveram comigo e que foram crescendo ao meu lado. É um esforço sobrenatural que se faz, mas às vezes tem que ser. Não há outro caminho que nos faça feliz. 

Sem comentários:

Enviar um comentário