segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

2012 balanço, balancete, balancé...

Não sou boa em contas, não tenho a contabilidade organizada e nem de contar carneiros para adormecer gosto.

Por isso, dispenso o balanço, não quero fazer balancete e adorava ir agora andar de balancé.

O baloiço será provavelmente e melhor metáfora para desenhar o meu ano de 2012. Tantas vezes para a frente como para trás. Mas por diversas vezes dei por mim a saltar dele, antes da ida para trás.

Agora espero pelo lanço e aproveito uma ida para a frente e salto novamente. Em 2013 haverá sempre lugar para esperança, para rir, para amar e sobretudo para fazer alguém feliz. Com isso tenho a certeza de que também eu serei mais feliz. Como sempre.

2013 aqui vamos nós. Be good. Be nice. Be sweet.


sábado, 29 de dezembro de 2012

Music in my head XVI



River

It's coming on Christmas,
And they're cutting down trees.
Putting up reindeer
And singing songs of joy and peace,
Oh, I wish I had a river I could skate away on.

It don't snow here,
Stays pretty green.
I'm gonna make a lot of money
And quit this crazy scene.
Oh, I wish I had a river I could skate away on.

I wish I had a river so long,
I would teach my feet how to fly.
Oh, I wish I had a river I could skate away on.
I made my baby cry.

You tried hard to help me,
You put me at ease.
You loved me so naughty,
It made me weak in the knees.
Oh I wish I had a river I could skate away on.

I'm so hard to handle,
I'm selfish and I'm sad.
Now I've gone and lost the best baby
That I've ever had.
Oh, I wish I had a river I could skate away on.

I wish I had a river so long,
I would teach my feet how to fly.
Oh, I wish I had a river I could skate away on.
I made my baby say goodbye.

It's coming on Christmas
And they're cutting down trees.
Putting up reindeer,
And singing songs of joy and peace.
I wish I had a river I could skate away on.

Quem tem uma filha assim, tem tudo.




Se ela podia contentar-se com a gaveta dos tachos e panelas ou calçar e descalçar os meus sapatos???
 Podia. 
Mas não era a mesma coisa.

Confirmado o fim do mundo.

Deram conta?? Pelos vistos foi hoje. 
Em todas as lojas Zara.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Gente Corajosa!

E não é que reparei naquela pessoa que está ali ao fundo................................................................................................
..........................................................................................................
..........................................................................................................
..........................................................................................................
..........................................................................................................
Sozinha, mas cheia de atitude!!!!!!!

Bem vinda seguidora número um!!!!!!!!!

Isto é a loucura neste blogue neste fim de ano!!!!!

Resoluções de Ano Novo

Ando para aqui a pensar se vale a pena pensar nisto, ou não.
Raramente as cumpro. Não tenho emenda.
Acho melhor pensar antes na ementa para a festa, e o resto logo se verá...
 
 

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Quem tem um filho assim, tem tudo.

Ontem à noite ao deitar:
 
A: "ó mãe eu gostava que o meu pai fosse outro senhor."
Eu: "porquê filho?" (pânico)
A: "gostava que o meu pai se chamasse Rui. Gosto taaaanto do nome Rui".
 
(esta foi mais uma das conversas que não se alonga... deixa-se morrer por ali. Sei lá que mais se poderia lembrar, se eu lhe desse trela... qualquer dia ainda me diz que gostava que o pai se chamasse Passos Coelho.)

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

E tradições de Ano Novo??

Quem tem??
Em minha casa costumamos correr com o Ano Velho e dar as boas vindas ao Novo Ano com muito barulho (não. não me refiro ao habitual barulho causado pelos meus filhos!)!
 
Basta-nos uns testos velhos de panelas e uma colher ou qualquer coisa para dar porrada nos testos!!!
 
Em casa dos meus pais, até desgarrada havia entre vizinhos, para ver quem se aguentava das mãos a fazer mais barulho e por mais tempo!!!!!!
 
Entretanto queria ver se arranjava algo que fizesse mais barulho e não cansasse tanto. É que preciso preparar uma pequena vingança surpresa aos vizinhos de um dos lados, que têm por tradição durante o ano, sempre que alguém faz aniversário naquela casa, lançar foguetes no quintal. E onde é que os desgraçados acabam de rebentar???? Não é no ar, não senhor. É mesmo no meu terraço. Já dei uns valentes pulos de susto com aquelas festividades.
 
Que comecem os preparativos da festa!
 

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Brincar ao faz de conta no Dia de Natal!

O Pai Natal foi generoso como sempre. As crianças vieram para casa carregadas de brinquedos novos. Muitos mais do que eu queria que eles tivessem tido, mas já me convenci que há coisas difíceis de mudar. Receberam dinheiro e esse sim, já tem destino. Parte para o "mealheiro" e parte para comprar bens de primeira linha, como calçado e roupa, que estão a precisar. 

Hoje é dia de os ver encantados a brincar com tudo o que receberam... sabe bem vê-los felizes! 

Brincam ao faz de conta e isso é maravilhoso. 

Eu também vou fazer o mesmo. Brincar ao "faz de conta que ninguém está doente nesta casa outra vez" e brincar ao "faz de conta que não estou cansada e com a cabeça em água e a precisar de me pirar, para parte incerta..."

Vale-me o sol que está lá fora e os pássaros que cantam na minha varanda e que me lembram que apesar de termos entrado agora mesmo no Inverno, caminhamos a passos largos para a Primavera! (Há que ver o lado bom da coisa, sempre!)

Mas para já, ainda é Natal! Por isso, aproveitemos o aqui e agora, antes que as rabanadas e o leite creme acabem!!


xmas card
(in Pinterest)

domingo, 23 de dezembro de 2012

(Sweet) Xmas memories

Lembro-me como se fosse hoje. Na minha infância nunca houve muitos presentes no sapatinho. Reflexos de outros tempos. Cristalizei dois Natais especiais. Um aos 9 anos, quando o meu irmão partiu, no dia 19 de Dezembro. Marcou-me, claramente pela dor do momento, mas deixou-me uma doçura e um carinho que ficou para sempre no meu coração. Ele que já estava numa fase terminal da sua terrível doença, conseguiu mesmo antes de partir, providenciar o meu presente. Dias antes ele tinha-me perguntado o que eu queria que o Menino Jesus me trouxesse e registou. E na manhã de 25, como de costume, lá fui eu acima do fogão debaixo da chaminé da cozinha procurar o que me tinha calhado na bota. 

Lá estava.Tal e qual eu lhe tinha pedido. Ele partiu mas ficou tanto dele. Que saudades.

Outro Natal especial foi quando ao fim de uma eternidade (para mim, assim parecia, no alto dos meus 11 ou 12 anos) recebi a minha primeira bicicleta! Sim aos 11 ou 12 anos. Não me lembro de ter tido um triciclo e a bicicleta que pedalava era de amigos e vizinhos e foi nessas que aprendi a andar por volta dos 7,8 anos. Sozinha e à custa de um cotovelo esfarelado, cicatriz que ainda hoje, cá está.
Quando vi a minha bicicleta, que foi tão bem escondida até aquela manhã, nem queria acreditar, fiquei meia zombie de alegria, quase a desfalecer de emoção. Ali estava ela: Linda, vermelha e amarela, uma fantástica BMX. Entre os pulos de alegria e os gritinhos de felicidade, eu dava graças a todos os Santos, que a minha irmã não tinha cedido à tentação de me trazer uma bicla cor de rosa e com cestinho e fitas esvoaçantes à frente!!! Thank God!!

Merry Christmas
(from my pinterest)

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

O meu fim de mundo (por partes)

é todas as manhãs quando o miúdo provoca uma tempestade para vestir a roupa, nomeadamente 3 camisolas.
é todas as manhãs quando o mesmo miúdo chora que não quer ir para a escola e precisa de me dar 355 beijos antes de me deixar sair para trabalhar;
é de manhã quando a irmã do miúdo decide acordar cedo, para além de não me deixar dormir mais 5 minutos, faz questão de andar grudada em mim, tornando as tarefas de tomar banho e vestir-me uma missão quase impossível.
é quando a gata decide enrolar-se nas minhas pernas quando circulo às escuras pela casa.
é quando a mesma felina decide que o melhor local para fazer o sua sesta é enrolada na minha camisola de lã preta, dentro do roupeiro.
é quando a mesma senhora dona gata decide andar a escorregar e trepar pelo corrimão das escadas às 3 da manhã.
é quando chego ao fim da semana e penso que durante uma semana não comi mais que 2 peças de fruta, não bebi um único iogurte e não tomei nenhuma vez o pequeno almoço, mas comi chocolate praticamente todos os dias.
é quando como sempre, começo a fazer planos com um ano de antecedência para o Natal e chega-se à semana do dito e ainda não tenho nada preparado.
é quando me apercebo que escolher e comprar o "tal" vestido para a miúda usar no Natal, com 3 semanas de antecedência não chega, mesmo.
é quando percebo que já não há papel de embrulho grátis na "Toys".
é quando olho para as minhas fotos antigas, especialmente de verão e vejo que o que está lá já não existe.
é quando olho para trás e vejo que já não tenho ao pé de mim pessoas que me fazem falta.
é quando chego ao trabalho e desmotivo sempre que vejo que ainda há pessoas que não têm o básico, seja para comer, seja para vestir, seja juízo e competências para levar a vida.
é quando olho para a minha vida e todos os dias penso que queria mudar tanta coisa e acaba por ficar tudo igual, mais um ano e outro e outro...
é quando tenho os meus filhos doentes, semana sim, semana sim e já dou por mim a desenvolver sintomas somáticos quando me apercebo que eles estão novamente a ficar doentes.
é quando percebo que me esqueço da minha saúde, arrependendo-me tanto quando ela me dá um abanão.
é quando percebo que não passo tanto tempo com a familia e com os amigos como desejava.
é quando começo a perceber que às vezes também eu, me engano redondamente nas prioridades.
 (...)

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

O Fim do Mundo

Espero que o Universo não se queira vingar do povo e decida pregar-nos uma partida... ainda acontece no dia 22 só para nos irritar.

Aguardemos.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Music in my head XIV


Chasing Cars

We'll do it all everything, on our own
We don't need anything, or anyone

If I lay here, If I just lay here
Would you lie with me
And just forget the world

I don't quite know how to say how I feel
Those three words are said too much
They're not enough

If I lay here, If I just lay here
Would you lie with me
And just forget the world
Forget what you're told
Before we get too old
Show me a garden
That's bursting into life

Let's waste time chasing cars
Around our heads
I need your grace to remind me
To find my own

If I lay here, If I just lay here
Would you lie with me
And just forget the world
Forget what you're told
Before we get too old
Show me a garden
That's bursting into life

All that I am, All that I ever was
Is here in your perfect eyes
They're all I can see, I don't know where
Confused about how as well
Just know that these things will never
Change for us at all

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Consegue ver-se o fumo??

Óptimo. É sinal que "habemos" vestido!!

Não é na cor que eu queria, mas tive que me sujeitar ao atraso com que comecei a tratar da coisa! Já aprendi a lição!

Agora ando entretida quero dizer desesperada com os pormenores!!!

Ganhou a Lanidor para a versão feminina e a Girândola para a versão masculina!




domingo, 16 de dezembro de 2012

Há explicação?

Claro que sim. 
Há desculpa? Claro que não.
Há compreensão? Nunca.
Há dor? Para sempre.

O que aconteceu naquela escola americana, é tudo isto e mais alguma coisa. 

Bastava apenas que alguém prestasse mais atenção ao atirador. Que tivesse sabido ler nas suas entrelinhas. Deve ter tido tantas.


Ou então bastava apenas que alguém, por acidente, o tivesse atropelado fatalmente.

Resta-nos chorar, nada mais. Porque aquelas estrelas ainda não eram para brilhar tão longe.



sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

De hoje a 2 meses.

Precisamente, o meu miúdo faz 5 anos! Uma mão cheia!! Está na altura de começar a pensar nos preparativos.

(Calma!! Eu disse pensar!)

Isto sou eu a fazer de conta que não deixo nada para a última da hora!

Music in my head XIII

 
Mudam se os tempos
Mas o disco toca o mesmo
Não há maneira nem vontade de mudar
Nao é defeito estar sempre menos mal
Vira feitío riqueza nacional
Os pobrezinhos sao bem bruto energia
Coitadinhos melhor que leite do dia
Alimentado sopa gode quando calha
Lá fazem vida que Deus lhes valha
Contra a pobreza exporto a minha tristeza
Contra a miséria ja nem faço cara séria
Se estou com fome canto o fado p'ra esquecer
Contra a pobreza exporto a minha tristeza
Contra a miséria ja nem faço cara séria
Se estou com fome canto o fado p'ra esquecer
Estar feliz é pior que avareza
Um ultrage face a esta depressão
Temos mágoas, paranoias, paraquedas
Mas nao ha boias para a nossa salvaçao
Agora basta fim a ladainha
Tudo a postos todos prontos pra a aventura
Um pé na sorte e pontapé neste mal-estar
Vamos mandar o desconsolo pelo ar
Contra a pobreza exporto a minha tristeza
Contra a miséria ja nem faço cara séria
Se estou com fome canto o fado p'ra esquecer
Contra a pobreza exporto a minha tristeza
Contra a miséria ja nem faço cara séria
Se estou com fome canto o fado p'ra esquecer
Vendi tristeza, nao chega para comer
(Contra a pobreza exporto a minha tristeza)
Vendi tristeza, nao chega para comer
(Contra a miseria ja nem faço cara séria)
Vendi tristeza, nao chega para comer
(Se estou com fome canto o fado para esquecer)

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Music in my head XII




SIM.


Diz-me sim, mesmo sem quereres.
A razão sei que há-de vir
Se me ouvires não interessa,
que o meu som não seja o teu.
Pedes mais, e eu nem sei querer-te melhor do que quis.



Diz-me sim ao que interessa
vem-te acostumar a mim
se não for só nos resta 
ter de errar para saber perder
Pedes mais, e eu nem sei querer-te melhor, do que um sonho mais que nos falta cumprir.



Diz-me sim mesmo sem veres
que isto possa acontecer
Faz-me rir, dá-me prazer
dá o gosto de nos podermos ter
Pedes mais e eu nem sei querer-te melhor.

Miúda do norte. Eu.

(roubado daqui)

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Um vestido para ti.

Nunca pensei que escolher um vestido de Natal para a miúda fosse tão difícil.
Queria que fosse de uma marca nacional, mas todos de que mais gosto são made in fora de Portugalinho. Queria que fosse giro, pratico e quentinho, mas a maior parte são giros, mais ou menos práticos e nada quentes.

Por favor, alguém que me explique porque razão, a maior parte das marcas produzem vestidos para a colecção de Outono/ Inverno em algodão fino e frio?? Então e as bombazines e as sarjas e as malhas?

Depois os catálogos são lindos, as fotos maravilhosas e os mini modelos são amorosos, mas as meninas aparecem todas de pernocas ao laréu! E os meninos? De calções e pernas ao laréu também!!

Ahhh... se o Natal aqui fosse como na Austrália, com praia e tudo! Isso é que era! Mas... aqui está frio! Mesmo!
Acima de Aveiro as temperaturas não são para amadores! Aqui no Natal, por norma, faz mesmo frio!!!

A minha casa tem aquecimento, sim. O carro também. Mas eu gostava de investir num vestido que a miúda pudesse usar na rua, bolas.

Está difícil.


Eu a falar para mim mesma:

Faltam 13 dias para o Natal. Sabes tudo o que ainda não fizeste e querias ter feito, não sabes?

(So, help me Dear God)

sábado, 8 de dezembro de 2012

Coisas desta casa...

O miúdo fez birra para se vestir de manhã. Resolveu que hoje só queria uma camisola. Lá se conseguiu que vestisse duas. Finalmente após o jantar lá decidiu admitir que tinha frio. (Precisou de um dia inteiro o raio do teimoso.)

A miúda achou por bem dormir 4 horas seguidas e agora quero ver quem vai ficar acordado a vê-la gastar as pilhas.

O miúdo chegou à conclusão que "quando ser grande, quero ser bombeiro" . típico. Eu disse-lhe que dava muito trabalho e era perigoso. Ele repensou e decidiu que "então é melhor ser correio" (carteiro). Pronto, está bem, podes sempre mudar daqui a uma hora.

A miúda agora anda numa de tentar educar à força a pobre e santa da gata e sempre que pode, vai dar-lhe "cacau" (tatau).

E pronto. Eu vou ali tentar fazer um bolo, que já ando há uma semana a sonhar com um bolo caseiro coberto de chatilly.

Bom fim de semana! ;)

Niemeyer




Mãos à Obra 3

inexpensive #christmasgiftidea

(in my pinterest)

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Procuro um anti-vírus para minha casa.

Não é para o pc, não. É mesmo para casa. Daqueles que nos protegem durante um tempo dos bichos que teimam em não arredar pé das minhas crianças. E quando estiver a expirar eu renovo a licença e ele continua de prontidão e alerta à porta de casa.
 
Passado exactamente um mês desde a última invasão, eis que a segurança do forte foi novamente aniquilada e o inimigo ganhou terreno.
 
Temos sorte porque para este tipo de inimigos ainda vamos tendo armas.Menos mal. Mas confesso que mói, cansa, aborrece, desanima e nos deixa sempre a pensar que mais há-de vir por aí...
 
Desta vez o "bicho" é de natureza bactereológica o que quer dizer que toca a pegar na arma que mais nos custa usar - o antibiótico. Neste caso a única terapêutica recomendada.
 
Escarlatina. Coisa que eu também tive que ir investigar por conta própria, embora ultimamente se tenha voltado a falar dela e nos surtos que volta e meia aparecem bem perto de nós. Há 2 anos houve um no infantário do meu filho, mas ele ainda lá não andava.
 
Ainda existe e está boa de saúde, pelos vistos, ao contrário do que muito boa gente pensa.
 
É altamente contagiosa, tem um periodo de incubação curto, 3 a 4 dias, e basicamente trata-se de uma amigdalite/faringite grave, que provoca febres altas e pode desencadear uma intolerância à toxina gerada pela bactéria que depois provoca o vermelhidão e a descamação da pele. Curiosamente, também ao contrário do que eu pensava, nem toda a gente fica vermelha perante a doença, daí eu achar que facilmente podemos confundir os sintomas com uma gripe ou algo do género.
 
Como era possivel então a minha princesa ontem, assim do nada, aparecer com todos os sintomas?? Quando cheguei a casa ao fim do dia ela parecia um pequeno monstro nórdico com um escaldão.
 
A pele dela parecia que a qualquer momento ia rasgar... felizmente não lhe causa tanto incómodo como faz parecer. Apenas alguma comichão que a médica dizia ser causada pela febre, pelo aumento de temperatura no corpo.
 
Diminuição do apetite e vómitos, são efeitos colaterais. Teve que ser hidratada oralmente até tolerar a ingestão sem vomitar. Paracetamol rectal e dieta leve e fresca. E colinho e mimo e muita paciência. E Fé, de que vai passar rápido.
 
(Aprendi, que passados 2 filhos e muitos supositórios introduzidos depois, eu, (e provavelmente a maior parte das mães) não sabe administrar os ditos cujos.
 Não é a extremidade ponteaguda que entra primeiro!!!!!! Valha-me Santa Ignorância, que eu sei usar um desfibrilhador, mas não sabia meter um supositório no rabo dos miúdos!!!)
 
O mais velho andava apenas com uma garganta inflamada desde domingo e estava por casa da avó a curar com mimo e antinflamatório. Só.
 
Hoje, como há temas que não gosto que me fiquem a criar macaquinhos no sótão, toca levar o miúdo ao laboratório de análises em vez de o levar ao médico. Zaragatoa feita na garganta e uns minutos depois o resultado: POSITIVO. Ele era afinal o suposto portador do bicho e deve ter sido ele a contaminar a mana. Como não teve todos os sintomas, confundimos com uma inflamação na garganta como é costume nele.
 
Resumindo: sai mais um antibiótico para a mesa 1.
 
E assim se vive neste Zoo querido do meu coração.
Despeço-me com amizade, até ao próximo bicho :)



quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Music in my head XI

 Já tinha ouvido tantas vezes esta música. Só hoje me caiu a ficha. É da letra.
 
 

Estás sentado no sofá a ver T.V.
Rodeado de IKEA’s e LCD’s

Sonhas com o desportivo de colecção
E ter mulher e ter um filho e ter um cão

Mas não há dia que passe que não penses naquele dia em que sais do canto
E perdes logo a simpatia quando vês que o que ganhas não vale assim tanto
Tira os sapatos que te prendem ao chão
São mocassins chiques mas não valem um tostão
Estás amarrado da cabeça aos pés
Num dia cheio de cigarros e cafés

Estás amarrado sabes bem porquê
Estás amarrado da cabeça aos pés
Estás atrasado para onde quer que vás
E o teu relógio não te deixa em paz

Mas não há dia que passe em que não te imaginas a voar mais alto
E perdes logo a simpatia quando vês que não vai ser o teu maior salto
Tira a gravata, desaperta o botão
Tens o pescoço inchado de tanta pressão
Estás amarrado da cabeça aos pés
Num dia cheio de cigarros e cafés

Estás amarrado sabes bem porquê
Estás amarrado da cabeça aos pés (x2)

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Dezembro no Porto

Chegam as "Boas Festas" e com elas imensas iniciativas... Ficam algumas dicas.
Explorem vocês também!
(queixamo-nos tanto de que nunca há nada para fazer...)
 

Mini Porto Belo

Um mercadinho de crianças para crianças, onde todos os artigos são vendidos por menos de 1€. Os mini comerciantes são os protagonistas de uma venda que inclui brinquedos, trabalhos manuais e talentos.
Mais Informações aqui!

Cedofeita Tradicional
 
Um convite para um passeio por esta tradicional rua da cidade, onde decorrerão várias atividades tradicionais na zona pedonal : almoço tradicional (sobremesas e pratos típicos em cafés-restaurantes aderentes), atuação de rancho folclórico e jogos tradicionais de rua (pião, macaca, etc.)…
Informações aqui!
 
Porto Call
 
Arts & Crafts | Books & Cia | Body Care | Home concept | Gourmet | Entertainment & Tourism | Fashion & Style | Wines
Informações aqui!
 
Arca de Natal
 
Faça das suas compras de Natal um gesto de solidariedade. As receitas desta venda revertem a favor de cada Instituição de Solidariedade Social.
Mais informações aqui!
 
Concerto de Natal
 
Concerto de Natal apresenta um programa composto por obras para violoncelo e piano, interpretado pelo violoncelista Nuno Cardoso e pelo pianista Duarte Pereira Martins, com obras portugesas de Luiz Costa, Armando José Fernandes, Cláudio Carneyro e alguns arranjos de canções natalícias portuguesas,em parceria com o Movimento Patrimonial pela Música Portuguesa.
Mais informações aqui!
 
 
Natal feito à mão
A iniciativa visa promover o trabalho de jovens criadores e artesãos, em áreas como o artesanato urbano, antiguidades, brinquedos, pequenas prendas, doçaria, entre outras artes. Naquela que é a 6.ª edição deste evento, a promessa é ainda a de um evento animado, com música ambiente e um bom cheirinho a Natal.
Mais informações aqui!
 
ARTESANATUS - Feira de Artes e Ofícios é um certame que se destaca pela qualidade e excelência, sendo considerado uma referência no panorama nacional e internacional. Na presente edição, estarão presentes mais de 50 expositores acreditados com carta de artesão e unidade produtiva artesanal.
Mais informações aqui!
 
 
 
Feira Gastronómica do Porto
Esta iniciativa pretende dar a conhecer os aromas e sabores que marcam a cultura gastronómica portuguesa. Um autêntico roteiro gourmet com diversas iguarias: queijos, enchidos, vinhos, licores, compotas, chocolates e doçaria conventual. Animação musical, todos os dias às 15:00.
Mais informações aqui!
 
 
Porto Extreme Spot
 
 
 Um espaço de divertimento ao ar livre, com 50 mil metros quadrados e atividades radicais para toda a família. O espaço tem uma área infantil e vários espaços de restauração que convidam a pausa nas atividades radicais.
Mais informações aqui!
 
Pista de Gelo
Uma pista de gelo com uma área de 28x12m, que permitirá uma experiência única e que promete divertir os mais variados públicos, numa das emblemáticas Praças da cidade. O funcionamento poderá ser suspenso por razões de segurança, sempre que as condições meteorológicas assim o determinem.
Mais informações aqui! 
 
 
Go and have fun!!

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

E agora pá??

Então em 2013, ano da desgraça anunciada, em que vamos andar todos rotos e a pedir é que esta malta se lembra, toda, de cá vir!???????

Caramba. Ninguém merece.


ALICIA KEYS - 28 Junho 2013, Pavilhão Atlântico
 

 
 
 
 
Ai o caneco...

terça-feira, 27 de novembro de 2012

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Bipolar ou Dramaqueen

Já que tenho a fama também posso tirar o proveito...


Depois de um dia com pensamentos escuros, quase negros... haja música para me clarear a alma...


A dor e o raio que a parta.

Todos a saboreamos mais dia menos dia. A escala da dor é pessoal e intransmissivel. A mim dói-me o que a outro não. A ele dói-lhe de forma que a mim nunca doeu. Cada um tem a sua capacidade de suportar e conviver com a dor.

Dor de dentes. Dor de cabeça. Dor de barriga. Dor de costas. Dor de pernas. Dor de cotovelo. Dor de de parto. Dor de amor. Dor de perder uma mãe. Dor de perder um filho.

Dor. Dor. Dor. Dor. Dor. Dor. Dor. Dor. Dor. Dor. Dor. Dor. Dor. Dor. Dor. Dor.

Quando dizemos muitas vezes esta palavra ela parece que deixa de fazer sentido. Parece que se lhe perde o significado. Passa a ficar estranha. Quase que fica vazia. Quase. Porque depois dói. E volta a ter peso. Volta a ser e volta a acontecer dor.

Dissertar sobre os sentimentos ajuda a percebe-los e a interiorizá-los. (Se bem que num dia simplista eu diria apenas que os sentimentos se sentem e ponto.)

E a dor? A dor dói e ponto também. Cada uma à sua maneira. Cada uma se apodera da sua pessoa e usa-a da forma que a deixarem. Sacana. Necessária.

Há dores que vão à boleia na nossa vida por tempo indeterminado. É dificil (impossivel) dar-lhes ordem de despejo.

Alguém que me explique como se vive depois da perda de um filho.

Não quero explicações do senso comum. Não quero que me digam que a amiga da amiga passou pela dor e sobreviveu. Não quero que me digam que tudo passa. Isso já sei. Quero a verdade. Somente a verdade.

Não quero sentir. Não quero dor. Quero uma explicação só.

Este tema vomita todos os dias do meu pensamento e todos os dias tento fugir dele. Hoje não consegui mais.

(Para a Maria, que partiu e para os seus pais e irmão que ficaram com a dor de a ver partir.)

domingo, 25 de novembro de 2012

Encher o peito de ar e avançar.

Às vezes é preciso contar até 10, 20, 100. O medo de avançar, a falta de coragem para determinados passos ou simplesmente não querer sair da zona de conforto faz com que se aguente, aguente, aguente...

Há quem viva. Há quem sobreviva. Há quem aguente.

Até um dia.

Para já vai-se enchendo o peito de ar e avançando. Sempre a mesma fórmula, mas um dia a química muda.

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Vozes que não me entram na cabeça

Eu tenho uma panca com alguns timbres de voz. 
Há aqueles que adoro e há os que detesto
Fazem-me náuseas,  provocam-me comichões, incomoda-me quando os ouço e não posso fugir deles!!






Esta querida está no topo de lista do "detesto". Fazer o quê?

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Hoje foi assim...

Estou de férias. Faço sempre mil planos para esta semana e normalmente não consigo cumprir nenhum. Mas este ano surpreendi-me! Superei-me ao fim de dois dias de férias! 

Ontem tinha planeado um dia de gata borralheira em casa da minha mãe e cumpri! 

Hoje tinha planeada uma ida à Baixa, uma compra numa loja de bricolage para fazer um favor à minha irmã, uma passagem pela praia para recarregar baterias e uma ida à IKEA  para comprar a única coisa que vou renovar na decoração de Natal este ano - o centro de mesa (mais nada, está decidido).

Graças à encarnação de gata borralheira e ter andado escada acima, escada abaixo a limpar os azulejos da cozinha e a despejar e limpar os móveis da louça, estou partidinha desde os ossos da cabeça aos ossos dos pés, irra... foi dose, mas cumpri! Fazia parte do meu presente de aniversário para ela! :)

Hoje, foi um dia por minha conta. Adoro a Baixa do Porto. Foi uma agradável visita debaixo de um sol de S. Martinho atrasado! Maravilhoso!

Finalmente meti os pés na Vida Portuguesa e apesar do espaço fantástico que ocupam (eu adoro edifícios antigos) e das marcas que ainda persistem, não fiquei satisfeita com os preços nem propriamente com o atendimento... ninguém foi mal educado ou antipático comigo, mas saí de lá com a sensação de nem ter visto os olhos, nem ter ouvido a voz de quem me atendeu. Foi uma cara que não fixei. E sinceramente não gosto disso.

Aproveitei e entrei rapidamente na Lello, confesso que nunca lá tinha ido. Pronto, lá fiquei eu de boca aberta e especada a olhar para aquelas paredes, para o tecto e para a famosa escadaria! (Já disse que gosto de edifícios antigos??) E o cúmulo?? É PROIBIDO FOTOGRAFAR A ARQUITECTURA DA LOJA!!!!? Alguém que me justifique isto com um argumento muito científico porque eu ainda assim não acredito! Os turistas surgiam em catadupa de mapa e roteiro na mão e chegados lá, não os deixavam registar o momento??? Inacreditável! Eu ainda passei os olhos pela secção de poesia, que era o que me apetecia trazer de lá, mas como forma de protesto não o fiz! :(  Escusado será dizer que não resisti e roubei uma miserável foto com o telemóvel em silêncio para não me denunciar. (já sei, já sei, vou arder no inferno!)

Felizmente, para compensar eis que fui lá para os lados da Escola da Árvore e do Passeio das Virtudes conhecer ao vivo e a cores a Maria Sardinha! O espaço é pequenino mas acolhedor, faltam ainda alguns pormenores que estão a ser providenciados, como é o caso do reclame na frente da loja... Hoje foi uma visita de médico apenas para conhecer os produtos, que por acaso, até estavam desfalcados nas prateleiras, tal foi o sucesso da inauguração! Recomendo. Tem preços apetecíveis e  nada escandalosos para a relação qualidade/preço/criatividade. Mas o melhor de tudo: a simpatia, os olhos brilhantes e o sorriso rasgado de quem nos recebe!! São pormenores que fazem a diferença. Obrigada pela atenção, Maria Sardinha! A sorte, essa, já desejei em carne e osso! ;)

Ficou a faltar a ida à Equador, mas essa vai ficar para mais perto do Natal!


Deixo as fotos (fraquinhas, mas as possíveis!)

A Vida Portuguesa

A Vida Portuguesa

A centenária "Fernandes Matos"

Livraria Lello
Maria Sardinha
Mar revolto em Leça
Almoço solitário, mas nada revolto em Leça!