sábado, 31 de agosto de 2013

Quem tem um filho assim... tem tudo.

Já há muito que o miúdo não contribuía aqui para o estaminé!

Hoje no noticiário à hora do almoço ouviam-se as várias opiniões sobre o derby de Lisboa de hoje. Falava então o mister do Benfica, qualquer coisa como: "esta partida de futebol" blá blá blá...

Miúdo: "partida?? partida??? ó mãe, como é uma partida no futebol?"

[antes que eu tivesse tempo de responder]

"Já sei! O jogador vai a correr com a bola para marcar golo e diz ao outro: olha ali um avião! e esse jogador olhou e o outro meteu a bola na baliza!"


Just perfect! 

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Memórias...

No meu tempo [ :) ] os meus livros da escola eram "forrados", era assim que se dizia, com papel de embrulho. Normalmente guardavam-se os papéis dos presentes que sobreviviam e ficavam em bom estado. Motivos infantis ou florais. Depois, evoluiu-se para o papel  de embrulho comprado. 

Ir à mercearia do Sr. Luís escolher as folhas de papel marca Ambar, era quase tão emocionante como escolher a mochila, ou os lápis de côr...

No fim de encadernado a minha irmã colava-lhes umas etiquetas rectangulares onde escrevia o meu nome e identificava a disciplina.

Aí por volta do 3º ano chegaram os rolos de plástico transparente com motivos coloridos (ainda sem cola) e foi assim o delírio! Lembro-me de adorar especialmente um que era transparente com riscas oblíquas em rosa neon, ou algo parecido... Depois vieram os bonecos, as flores, as pintinhas...

Pensando bem, acho que só encadernei livros com plástico autocolante, por volta do 5º ou do 6º ano. 
Evoluiu-se mais uma vez, mas perdeu-se algum encanto. E o que nós (eu e a minha irmã) desesperávamos com as bolhas no plástico... é melhor nem lembrar!

Agora até já há kits todos xpto para encadernar de uma forma cool e rápida.

E agora que penso nisto, também chego a outra conclusão: qual a razão porque tratávamos tão bem os nossos livros escolares, naquela altura?? 
Simples. 
Eles eram realmente para se estimar, pois passavam de mão em mão ano após ano... para os primos, irmãos mais novos, vizinhos... Os livros durante alguns anos eram os mesmos e voltavam a ser reutilizados até ao desgaste quase completo. Morriam cheios de vida! 

Hoje vivemos o drama dos livros que têm que ser renovados todos os anos, que já não servem para ninguém na família... e os custos. Os elevados custos que representam para a maioria destes agregados familiares. E já nem me atrevo a falar em lobbies e negócios que ajudam a sustentar editoras à custa desta despesa familiar...






quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Estejam à vontade....

Sintam-se em casa, podem vir em trajes menores, de chinelos ou descalços, de toalha enrolada no cabelo. Também podem vir de fato e gravata, de farda ou de avental... Estão em casa. 

Sintam-se à vontade para trocar ideias comigo aqui neste canto! Só para não ficar com a sensação de estar a falar para as paredes! 

Mas venham com o espírito de sempre, sim!?!

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Um fim de semana na paz do senhor!

Levei o relógio mas não usei. Levei o telemóvel mas só tinha o carregador do carro. Levei várias mudas de roupa mas quase só usei o biquíni. Refeições demoradas, sem barulho e com ementas com sabor a férias. Pequenos almoços cinco estrelas. Li uma revista de fio a pavio. Dormi ao sol e estive de molho a refrescar. Almoço na esplanada da piscina. Passeios a pé, devagar e com tempo para ver com olhos de ver. 

[Confesso que olhei sempre que alguma criança chamava "mãe". E confesso que comparava mentalmente todas as crianças com quem me cruzei, com as minhas.]

























{Cheira-me que outro assim, só daqui a 10 anos...}

domingo, 18 de agosto de 2013

Que atire a primeira pedra, pedregulho ou rocha inteira...

Oh pá, ser mãe é daqueles acontecimentos que mudam a nossa vida quer a gente queira quer não. Quer se seja mais ou menos stressada, mais ou menos paciente, mais ou menos despreocupada.

É inevitável. Quanto mais não seja porque assim de um dia para o outro passas a ter seres dependentes de ti seja para alimentar, vestir, educar, dormir (ai ai) and so on, and on...

E amar! Já sei, Não se preocupem que eu amo os meus em conta e medida para me lembrar sempre disso! Mas hoje foi um daqueles dias em que me apetecia não ter ouvido o dia todo a berrar: MÃEEEEE!

Não, não estou a cuspir para o ar, não, não sou mal agradecida pela bênção que tenho, em ser mãe deles. Isso, para mim é daquelas coisas que me deixa sempre contemplativa. Continuo todos os dias a pasmar-me e a agradecer ao Senhor lá de cima, por me ter oferecido assim de mão beijada duas criaturas tão incríveis, tão espertas e tão cheias de asneiras para fazer, mas também tão amorosas e tão amigas como eles (às vezes) conseguem ser.

Agora dou por mim triste por se ter instalado este cansaço da rotina e da azáfama do dia a dia.

5 anos e dois filhos depois, sinto que os aproveito a eles mas não a mim. Sinto que desperdiço muito do meu tempo enquanto mulher. Sinto que me falta fazer mais alguma coisa para além do vestir, alimentar, educar, etc, etc... (o amar é inerente, estará lá sempre, sem necessidade de o referir).

Nestes 5 anos de filhos (quase 6, vá) deixei-os apenas 2 fins de semana. Não conto as noites em que chegamos mais tarde por termos ido a um concerto ou a um jantar, porque para além de terem sido quase inexistentes, eles, nunca ficam a dormir em casa de ninguém o resto da noite, vamos sempre busca-los mesmo que tarde seja.

Confesso que há dias em que me apetece ir ali dar uma curva e voltar, tipo, uma semana depois. 

Eu sei o que nos falta. Eu sei das estratégias todas que devia implementar, eu sei da teoria. 

O meu problema é não colocar nada em pratica. A vida é assim, as rotinas, as ligações e os apoios que existem levam-nos muitas das vezes a cair neste ciclo vicioso. Pelo meio de tudo isto perdem-se coisas muito importantes, mas dessas muito mais haveria para dizer...

Hoje era dia de programa fora de casa, para aproveitar este Verão estranho e sugar energias para acumular para os dias cinzentos. Acabamos por não fazer nada. Há muito que os domingos deixaram de ser em família alargada, porque também essas pessoas sentiram necessidade de pedir descanso. Por isso, vamos vivendo os fins de semana ainda mais em família nuclear o que sem dúvida aumenta o tal cansaço...

De tarde desliguei-me deles literalmente e dormi. Quem me conhece sabe os problemas que a miúda sempre teve para dormir de noite, e quem leva por tabela? Pois. Há momentos que sinto que vou adormecer em pé. Há outros em que sinto que era capaz de estar acordada noites seguidas, tal é já o meu distúrbio de sono. Mas vai-se andando. Vai-se aguentando calada. Ou não. Hoje apeteceu-me gritar. Aqui.

Agora que atire a primeira pedra quem não tem vontade de "fugir" de casa, assim, um fim de semana por mês, ou fazer umas noitadas diferentes, a dois, ou com aquele grupo de amigos que passa a vida a reclamar as saídas que deixaram de acontecer...






sábado, 17 de agosto de 2013

Um dia como eu gosto.

Até se acordou cedo, mas como sempre demora-se 2 horas para sair de casa. Conseguimos chegar à praia antes da hora do almoço e como alguns ainda estavam a digerir o pequeno almoço, fomos esticar as pernas para ganhar apetite. 

Uma caminhada pelo passadiço que une praias nesta linha que tanto gostamos. Caminhada, que é como quem diz, porque os miúdos foram de transporte, um na sua habitual mota e ela no carrinho, que isto de ser princesa é uma canseira.

Fomos e viemos com sol e uma brisa agradável. Mas o nevoeiro já estava à espreita vindo de norte. Fomos à praia dos pescadores, vimos peixe fresco a ser assado em tudo que era restaurante ali na zona. Voltamos à "nossa" praia e ninguém quis comer peixe. Houve gelados e crepes de sobremesa. Ali à beira mar, com ele esparramado a olhar para nós...

Descemos ao areal e montamos a barraca do costume, mas já devidamente apetrechados, que isto de viver as maravilhas da areia grossa e o iodo das praias do norte é só para quem sabe! Agosto é mês de nortadas e de marés vivas, mas isso não incomoda esta gente rija e de ideias fixas, só é preciso arranjar as ferramentas certas! (aqui não servem de muito os guarda-sóis pipis que se levam para as praias do sul! bah!) 

Não demorou muito a chegar em força o nevoeiro e a esconder o sol. Basicamente o São Pedro é um invejoso e não pode ver ninguém feliz. A malta aguentou-se, protegida pela barraca e ficou firme. Não estava frio, apenas sol envergonhado.

Pela hora do lanche já as coisas começaram a mudar e como eu já não podia ouvir alguém a queixar-se do frio e que ia chover, blá, blá, blá... lá viemos. 
Eu contrariada, ainda apresentei uma moção contra e até fiz declaração de voto, porque gosto de praia com nevoeiro, mas eles ganharam.

As crias adormeceram na primeira curva e ainda continuam. Eu vou adiantar uns queques de chocolate cuja receita anda ali a desafiar-me há semanas...

E amanhã?? Pode ser igual, ok? Já é bem bom! 


(Às vezes é preciso tão pouco para se ter momentos felizes)


sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Music in my head XXVI

 
 Para um dia como hoje, uma música à altura. Esta não me sai mesmo da cabeça.
 


Can't Hold Us (feat. Ray Dalton)
Return of the Mack - get up
What it is, what it does, what it is, what it isn't
Looking for a better way to get up out of bed
Instead of getting on the internet
And checking out who hit me, get up
Thrift shop, pimp strut walking
Little bit of humble, little bit of cautious
Somewhere between like Rocky and Cosby
Sweater game nope nope y'all can't copy
Yup. Bad, moonwalking
This here, is our party
My posse's been on Broadway
And we did it our way
Throne music
I shed my skin and put my bones into everything I record to it
And yet I'm on
Let that stage light go and shine on down
Got that Bob Barker suit game
And Plinko in my style
Money, stay on my craft
And stick around for those pounds
But, I do that to pass the torch
And put on for my town
Trust me
On my I-N-D-E-P-E-N-D-E-N-T shit hustlin'
Chasing dreams since I was 14
With the four track bussing
Halfway cross that city with the backpack
Fat cat, crushin labels out here
Nah they can't tell me nothing
We give that to the people
Spread it across the country
Labels out here
Nah they can't tell me nothing
We give it to the people
Spread it across the country

Here we go back, this is the moment
Tonight is the night, we'll fight till it's over
So we put our hands up
Like the ceiling can't hold us
Like the ceiling can't hold us

Here we go back, this is the moment
Tonight is the night, we'll fight till it's over
So we put our hands up
Like the ceiling can't hold us
Like the ceiling can't hold us

Now can I kick it? Thank you
Yeah I'm so damn grateful
I grew up, really wanted gold fronts
But that's what you get when Wu-Tang raised you
Y'all can't stop me
Go hard like I got an 808 in my heart beat
And I'm eating at the beat
Like you gave a little speed
To a great white shark
On shark week
Raw, Time to gone off, I'm gone!
Deuces goodbye, I got a world to see
And my girl she wanna see Rome
Caesar will make you a believer
Nah I never ever did it for a throne
That validation comes from giving it back to the people
Nah sing a song and it goes like
Raise those hands, this is our party
We came here to live life
Like nobody was watching
I got my city right behind me
If I fall, they got me
Learn from that failure gain humility
And then we keep marching ourselves

Here we go back, this is the moment
Tonight is the night, we'll fight till it's over
So we put our hands up
Like the ceiling can't hold us
Like the ceiling can't hold us

Here we go back, this is the moment
Tonight is the night, we'll fight till it's over
So we put our hands up
Like the ceiling can't hold us
Like the ceiling can't hold us

"Na na NAna na naNA na"
And all my people say

"Na na NAna na naNA na"
And all my people say

"Na na NAna na naNA na"
And all my people say

"Na na NAna na naNA na"
And all my people say

domingo, 11 de agosto de 2013

Férias de Verão. Adeus e até para o ano!

Lá se foram mais umas. 
Birras. Beijinhos doces. Abracinhos. Cabelos molhados. Peles salgadas. Pés descalços. Birras. Alegria. Sono. Descobertas. Beijinhos salgados. Peles morenas. Calor. Bebidas frescas. Piscina. Ondas. Céu azul. Noites quentes. Sono. Praia. Barcos. Hambúrgueres. Mimos. Coca cola gelada. Crepes com nutella. Biquínis. Unhas pintadas. Pulseiras novas. Gelados. Birras. Pão com manteiga. Banhos de mar. Sevilha. Calor. Animais. Rio Douro. Abracinhos. Fotografias. Xixi no pote. Cama nova. Porto. "Autocarro sem capota". Bolas na praia. Vento. Sol. Sono. Fotografias. Beijinhos doces.



As coisas menos boas, ficam aqui no arquivo da memória. Para serem recordadas apenas na preparação das férias do próximo Verão. 

Até para o ano férias grandes!

sábado, 10 de agosto de 2013

Music in my head XXV



Happy 
It might seem crazy what I'm about to say
Sunshine she's here, you can take a break
I'm a hot air balloon that could go to space
With the air, like I don't care baby by the way

Because I'm happy
Clap along if you feel like a room without a roof
Because I'm happy
Clap along if you feel like happiness is the truth
Because I'm happy
Clap along if you know what happiness is to you
Because I'm happy
Clap along if you feel like that's what you wanna do

Here come bad news talking this and that
Yeah, well, gimme all you got and don't hold back
Yeah, well I should probably warn you I'll be just fine
Yeah, no offense to you don't waste your time
Here's why

Because I'm happy
Clap along if you feel like a room without a roof
Because I'm happy
Clap along if you feel like happiness is the truth
Because I'm happy
Clap along if you know what happiness is to you
Because I'm happy
Clap along if you feel like that's what you wanna do

(Happy) bring me down
Can't nothing (happy) bring me down
My level's too high (happy) to bring me down
Can't nothing (happy) bring me down
I said
(Happy, happy, happy) bring me down
Can't nothing bring me down
My level's too high (happy) to bring me down
Can't nothing bring me down
I said

Because I'm happy
Clap along if you feel like a room without a roof
Because I'm happy
Clap along if you feel like happiness is the truth
Because I'm happy
Clap along if you know what happiness is to you
Because I'm happy
Clap along if you feel like that's what you wanna do

Because I'm happy
Clap along if you feel like a room without a roof
Because I'm happy
Clap along if you feel like happiness is the truth
Because I'm happy
Clap along if you know what happiness is to you
Because I'm happy
Clap along if you feel like that's what you wanna do

(Happy) bring me down
Can't nothing (happy) bring me down
My level's too high (happy) to bring me down
Can't nothing (happy) bring me down
I said

Because I'm happy
Clap along if you feel like a room without a roof
Because I'm happy
Clap along if you feel like happiness is the truth
Because I'm happy
Clap along if you know what happiness is to you
Because I'm happy
Clap along if you feel like that's what you wanna do

Because I'm happy
Clap along if you feel like a room without a roof
Because I'm happy
Clap along if you feel like happiness is the truth
Because I'm happy
Clap along if you know what happiness is to you
Because I'm happy
Clap along if you feel like that's what you wanna do

C'mon



quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Recomeçar.

Agora que já passou o impacto, que quase já passou um dia, que já sei que os dois estão bem e que os seus corações estão um bocadinho mais serenos, já posso falar no recomeço.

A vida prega-nos partidas. Há tantos motivos que nos levam a recomeçar. Neste caso, foi a busca de uma vida melhor, de uma estabilidade pessoal e emocional que levou amigos para longe do seu canto e da sua família.

Há os que vão e não têm nada a prende-los e têm no recomeço o próprio do começo. 

Há os que têm alguma coisa a prende-los e têm no recomeço apenas um recomeço.

Depois há os que têm muito a prende-los e amarra-los e apertar-lhes o coração e as entranhas da alma e têm no recomeço toda a ESPERANÇA de uma vida.

As lágrimas que caíram hoje pela despedida ainda se transformarão em lágrimas de alegria. Daqui por uns tempos estamos todos juntos e a rir da despedida e a agradecer o recomeço.

Minha querida Sofia, que a vida noutro país traga a concretização de sonhos que o teu próprio país não vos permitiu. Não devia ser assim, mas abracem esta aventura com o coração sorridente e com esperança num futuro muito melhor. Estamos todos a torcer por vós!

Até amanhã, sim!? 




Typographic inspirational life is journey art print. Gift present for him, couples, wedding, anniversary, Christmas. Mum, Dad, Monochrome~

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Mudanças de Verão!

Nas férias aproveito, inevitavelmente para fazer arrumações e também algumas renovações em casa.

Desta vez o alvo foi a sala de estar, que vai ganhar um móvel novo para louças e afins e uma arrumação nos móveis dos brinquedos deles, que bem precisavam. (Cá em casa não há quarto de brincar, nem brinquedos no quarto de dormir, para já brinca-se na sala ao pé de todos. Sim, tenho saudades da minha sala, mas prefiro tê-los ali ao pé, onde eu possa ver o que vão fazendo e descobrindo enquanto brincam.)

Também os quartos deles estão aos poucos, a ganhar cara nova. Era para ter sido pintado e aplicado o papel de parede no quarto do miúdo, mas parece-me que ainda não vai ser desta. 
Vamos transformando alguns pormenores para tornar o quarto "menos bebé" e mais apropriado a um rapazito de 5 anos a caminho dos 6! 

O quarto da princesa que foi remodelado recentemente apenas ganhou uma cama de menina mais crescida e consequentemente almofadas, colchas e edredons novos.

Quando comecei a pesquisar facilmente me perdi. Há coisas lindas e para todos os preços. Já me arrependi de não ter aproveitado um quilt em saldos para a cama dela, na Primark. Paciência. 
Temos almofadas XXL dos saldos da Pórtico e da Zara Home. Consegui encontrar uma capa de edredon rosa com pintinhas (que adoro) no Continente. Para ele também foi lá que, finalmente, encontrei a capa com estrelas, muito estilo "quarto de adolescente americano", pelo qual tenho uma panca... fazer o quê? Mas também já estão a ser feitas almofadas para o sofá num tecido que adorei, com tema British para combinar com uma colcha feita com tecido do Ikea.

Assim estão a ser também as férias. A nossa casa também precisa de renovar energias e tornar-se mais aconchegante, pelo menos, eu penso assim. Houvesse mais dinheiro!!!! :)






Almofadas com as iniciais by Cutxie Cutxie!


segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Aqui do planeta férias...

Uma semana fora de casa e outra mais ou menos por casa, mais ou menos por fora. Assim têm sido estas férias. Não têm sido só rosas, que isto de passar duas semanas 24 sobre 24 horas todos juntos não é fácil. Eu bem que gostava que tudo fosse perfeito, mas a realidade não é assim. E na verdade não me acredito que seja para ninguém. 

Vamos preenchendo momentos para que fiquem lembranças boas para mais tarde.

Hoje fomos ao cinema. A primeira vez para a pequena. Primeiro teve medo da música alta, do escuro da sala, das imagens gigantes. Mas as imagens foram-na cativando e os Monstros que até são adoráveis e de quem ela já gostava tanto, fizeram-na ir perdendo o medo.




Estes dois Monstrinhos foram trajados a preceito!