terça-feira, 10 de dezembro de 2013

48h o tanas.

Não me venham mais com essa história de que porreiro era se os dias tivessem 48h e se os meses tivessem mais uma semaninha é que dava jeito!
 
Eu sou preguiçosa, ok? Não sou sempre, mas sou muitas vezes. No Inverno ainda mais.
 
Às pessoas proactivas e super produtivas deixo aqui o meu pedido de desculpas, vocês não merecem, mas para que quero EU um dia com mais horas e um mês com mais dias, se chego ao dia 15 de todos os meses e a minha conta bancária fica depenada e a palavra amealhar há muito que deixou de se ouvir por estes lados.
 
Não sou funcionária pública mas também eu não recebi os sacaninhas do subsídios. Nem de férias nem de Natal. E o pior, é que não há previsões.
 
Eu sou daquelas pessoas que se aproveitava desses sacaninhas de subsídios para compor as finanças pessoais.
 
Havia sempre alguns extras que se faziam com esses ditos. Sacaninhas. Já nem falo de extras supérfluos. Como ir na Ryanair a Barcelona, ou remodelar o quarto de passar a ferro. Também queria muito arranjar o jardim a sério. E que bem que eu me ia dar com aquelas botas da DKNY, que parecem mexer-se sempre que as olho n montra. E o telemóvel? Iphone what? Só conheço o "E.T. phone home", serve?
 
Pois.
 
Este mês é Natal. Este mês tenho o seguro do carro para pagar. Este mês gostava de poder arranjar o exaustor da cozinha que só tem dois botões a funcionar.
 
E depois tenho dois filhos que crescem todos os dias. E a roupa e calçado não esticam com eles.
 
Presentes de Natal já só vão para as crianças e os familiares mais próximos mesmo.
 
Os presentes dos adultos são mesmo lembranças ou então alguma coisa mais pratica e que esteja a dar jeito na altura.
Os miúdos recebem sempre um ou outro brinquedo que pediram na carta ao senhor das barbas, mas optamos sempre por comprar brinquedos que sejam de qualidade e possam ir resistindo ao longo dos tempos... tarefa difícil, pois todos sabem como são os brinquedos de hoje em dia, autodestroem-se em 5 minutos.
 
Eu sei que estou a deixar o meu lado mais consumista apoderar-se de mim... mas a verdade é que o sacana do dinheiro faz falta, deixa-nos dependentes dele para quase tudo e depois dá nisto. Sofre-se de síndrome de abstinência.
 
 
Queria aproveitar para lembrar a minha amiga Teresa, que está a contar os dias, horas, minutos e segundos para o dia 14. A sua metade da laranja vem lá do outro lado do mundo e para eles tenho a certeza de que os dias nesta fase, podiam ter apenas metade do tempo!
 
 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário