quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Uma mãe em decadência...

É como me sinto. Este ano lectivo tem sido completamente anormal no que toca ao meu comportamento como mãe. Eu esqueço-me de datas, de horários, de actividades, de fazer bolos, de mudar a roupa da mochila, de mandar atempadamente o que pedem... bem, uma vergonha.

Hoje é a Festa de Natal do miúdo. Parte da roupa que era precisa para uma das peças só seguiu hoje, ao contrário do que tinha sido pedido.

E depois vem aquela parte em que todas as mães choram baba e ranho ao ver as crias a atuar em cima do palco. Confesso. Nunca chorei. Nunca. Hoje o meu filho será a personagem principal na peça de teatro. Decorou um texto praticamente todo em rima cruzada, mesmo sem saber ler uma única palavra. E eu? Não chorei nem vou chorar quando o vir dizer tudo o que ensaiou. Sou uma insensível, nestas coisas dos filhos.
 
Sei que vou ficar orgulhosa, a vibrar e com o coração cheio, mas não vou chorar. Ainda estou a digerir esta capacidade que os miúdos (no caso o meu) têm para fazer estas coisas. Acho que nunca fui assim, mesmo em miúda.
 
O meu filho vai ser o Lobo Mau Xau Xau que apenas sonhava ser o Lobo Bom e chamar-se Pom Pom.
 
E eu vou estar lá para o ver a brilhar e a acenar do palco, como de costume. Ele tem esta costela de "insensível" da minha parte. Não é criança para desatar a chorar ou a fugir do palco quando vê a mãe ou o pai na plateia. Pelo contrário. Sorri-me com aquele olhar cúmplice próprio de quem sabe que está a ser observado e super orgulhoso do que vai fazer. That´s my boy.
 
É a primeira vez que tem um papel principal, mas em momento algum ele agiu como vedeta. That´s my boy, too. Essa costela também é minha, pronto.
 
O meu pequeno que entrou naquela escola ainda com cara de bebé, hoje é um rapazinho crescido com quase 6 anos e a quem fez muito bem tudo o que lhe aconteceu na escola.
 
Cresceu em todos os sentidos e realmente isto deixa-me a pensar como o tempo corre.
 
Eles mudam, aprendem, adaptam-se, convivem, evoluem, socializam. É toda uma vida a acontecer e eu a ver. E ainda bem.
 
 
 
 
 

1 comentário:

  1. Excelente faladura!!! E olha... acho que andamos todas um bocadichinho menos lembradas de datas e coisas importantes. Por aqui só não me esqueço das datas dos testes porque estudo diáriamente com ambos, e as notas que 'temos' são 'nossas' pelo tanto que estudamos juntos!!! Mas lá chegarás... Nas festas, não chorar não é mau sinal, também nunca fui muito de fazer isso e não vejo trauma nenhum nos meus rapazes!!!

    ResponderEliminar