quarta-feira, 8 de maio de 2013

Férias rimam com...?

Com quase tudo aquilo que eu disse que faria nesta semana e não fiz.

Uma semana de férias que até começou muito bem. Valeu pelo fim de semana, que foi quase perfeito (tirando o episódio triste chamado Izzie). 

Tantos planos que se evaporaram com a porra de uma constipação que está a dar luta. Estou praticamente sem voz. Estou constantemente com dor de cabeça, porque simplesmente tenho que fazer um esforço do outro mundo para que esta malta cá de casa me ouça e me obedeça. Cruzes, que filme. Estou a ficar sem paciência nenhuma. 

Férias em casa são sempre sinónimo de cansaço. Viver 24horas por dia a vida de casa/filhos, é bom mas definitivamente não é para mim. Muito menos doente, que me tira a energia e a vontade de fazer o que quer que seja. E o raio do tempo também não ajuda. Chuva, chuva, chuvinha vai cair naquela praia... mas não na minha .

Aqui na "aldeia" abriu um mini-mercado. Coisa para dar que falar cá em casa. O meu filho que é também filho dos hipermercados, não conhece outra forma de fazer compras. Para ele, este novo espaço comercial estava há dias a fazer-lhe uma comichão, que só visto. Hoje lá lhe fiz o gosto e fomos às compras.

Fui com o objectivo de comprar frutas, legumes frescos e iogurtes (que isto de uma casa cheia dá cá um prejuízo) e acabei por trazer sabores da minha infância. Maravilha. Realmente há um encanto nestas coisas que até eu já me tinha esquecido. Biscoitos regionais. Tinha que ser. Barquinhos da confeitaria de sempre!


Também vieram fidalguinhos e um pão doce típico de Resende e a fazer lembrar as suas "cavacas". Tudo fresquinho e maravilhoso. Alguma coisa tinha que fazer frente a esta neura instalada.

Às tantas estávamos sozinhos com a senhora da mercearia. Eu, ela e o meu filho. E uma mosca varejeira. Coisa que não é vista no hiper e despertou o interesse do rapaz. Não descansou enquanto, junto com a merceeira, não a correu dali. Só visto.

Viu a fruta com outros olhos, correu o espaço de ponta a ponta e faltou-lhe um bocadinho assim, para pedir para entrar no armazém. Perguntou baixinho e com vergonha pela prateleira dos carrinhos :) e achava que as cebolas estavam podres, pois tinham terra na casca.

Amanhã se tudo correr bem é dia de vacinas com a nossa Lisa, prevejo outra mini aventura em terras de veterinário. Aguardemos! 

Sem comentários:

Enviar um comentário