domingo, 5 de maio de 2013

Fim de semana tosta mista: Parte do Fiambre

Hoje era dia do tão esperado : Todos por um - Porto!   O dia de lutar mais uma vez pela saúde do pequeno Rodrigo. "Juntei-me" a uma equipa composta por pessoas que não conhecia de lado nenhum, mas onde reinava um objectivo comum. Ajudar um menino que podia ser filho de qualquer uma de nós. 

O dia especial dava o mote e o povo do Porto não hesitou. 

Corações grandes como sempre. Corações que respondem sempre à chamada de quem precisa de ajuda.

Ainda não sei dos resultados, a não ser do número de inscritos como dadores e apesar de não termos chegado a números idênticos aos de Lisboa, (as condicionantes também marcaram a diferença), valeu muito a pena! A alegria, a partilha, o amor e a ESPERANÇA, que se fez sentir e que pairava no ar, desde o dia em que se começou a fazer contactos ou a "arrumar" a casa, para a festa!

Há 3 dias que ando a explicar ao meu filho quem é o Rodrigo e o que lhe estava a acontecer e porque era necessário fazer uma "festa" destas para o ajudar... Mesmo assim foi inevitável! Quem ele queria ver era a Estrela" do evento: O pequeno Rodrigo! Perguntou vezes sem conta onde é que ele estava e se aquela casa era dele, porque não aparecia? 


O meu objectivo, tal como combinado, era ficar por lá todo o dia. Mas há coincidências tristes que mudam os nossos planos.

Há precisamente um ano chorei baba e ranho por numa distracção  ter atestado o carro a gasóleo, com gasolina. Futilidade.Hoje chorei porque de manhã ao acordar dei de caras com um cenário triste.

A nossa querida Izzie , jazia dentro da sua gaiola. Lá se foi toda a motivação. Era só uma coelha. Nem se sequer era nossa. Estava cá provisoriamente até recuperar. E agora ficou o sentimento de culpa. Onde terei errado? O que terá acontecido para não aguentar, agora que já estava a recuperar, já comia, brincava, corria escada abaixo, escada acima. Até a Lisa, já se habituara à sua companhia e às correrias nocturnas...



Lá fui ao Todos por Um, com o coração apertado e a pensar em como ia resolver aquela situação. Acabei por vir embora e descobri que por mais que a gente pense que sim, nunca estamos preparados para o fim. Mesmo que de um animal se trate. 

Bolas. Ironia de um raio. Izzie, espero ter feito o que podia, por ti.

(As crianças pensam que a Izzie foi passar férias a casa da prima. Adiei o problema, eu sei. Mas não queria que ficassem com este episódio triste associado ao Dia da Mãe e ao Dia do Rodrigo.)



Sem comentários:

Enviar um comentário