quinta-feira, 5 de julho de 2012

uiiiiiiiiiii...


"Quero-te em pátios e terraços, em fontes cujo som

apagará todos os silêncios...

 Quero-te num pomar com cheiro a damasco... Quero-te num banco de cal,

à roda de uma árvore para olharmos as estrelas no céu...


Quero-te num caminho, no meio de um olival, por onde o luar posará à

noite... Quero-te em abóbadas de tijolo imaginadas com teias de aranha

suspensas, como se vigiassem a passagem do tempo...


Quero-te estender uma rede nordestina no terraço e deitar-me contigo,

para dormirmos lá fora, deixando uma vela a arder dentro de uma

lanterna marroquina...

 Quero ver-te dormir, quero adormecer aos poucos, como um cão adormece

com um olho aberto e o outro fechado, nesse prazer prolongado de

habitar entre duas fronteiras – a do sono e a da vida, fazendo por

dormir depois de ti, para te ver de olhos fechados, indefesa..."

(autor desconhecido)



Sem comentários:

Enviar um comentário